quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Projeto muda nomenclatura do cargo de educador infantil, mas permanece discriminação

Hoje na reunião com as diretoras e vice de escolas e UMEIs, o Prefeito Márcio Lacerda anunciou que será enviado um projeto para a câmara municipal com o objetivo de mudar o nome do nosso cargo para professoras da educação infantil. Por enquanto temos notícias de quatro pontos:

1. A mudança do nome do cargo de educador infantil para professor municipal da educação infantil e uma mudança aparente, pois permanece a quebra da carreira dos professores. Nossa reivindicação é a unificação da carreira.

2. Possibilidade de acumular dois cargos: já podemos e a PBH não pode mudar isto. Mesmo a PBH tende adiado a posse de algumas pessoas ela teria de efetivar a posse ou (como aconteceu) as pessoas ganhariam na justiça o direito de assumir o cargo. A PBH jamais poderia demitir quem já tem dois BMs e impedir que outras tomem posse.

3. Aposentadoria Especial de Professor: Este ponto é muito importante, até então quem tivesse de se aposentar deveria entrar na justiça para conseguir a aposentadoria especial e se fosse o caso, qualquer processo judicial daria ganho de causa para a gente, pois temos reconhecimento na legislação e resoluções nacionais de magistério / professor. Portanto o PL regulariza a situação na esfera municipal e nos tranqüiliza.

4. Possibilidade de dobrar como professor municipal, ganhando o dobro do vencimento, este ponto realmente precisa de um PL para se efetivar e é uma das nossas reivindicações antigas.

Na reunião de diretores houve a indicação de discussão com a SMED sobre a possibilidade das educadoras serem diretoras nas escolas exclusivas de educação infantil, temática abandonada pelo SindRede/BH na última eleição. Isto não está no projeto, mas há possibilidade de incluir.

No entanto permanece a diferenciação salarial e de plano de carreira: os professores do ensino fundamental e médio continuam ganhando mais q a gente; ao concluirmos cursos superiores subimos apenas 2 níveis, enquanto os professores sobem 10; abonos diferenciados, seja de fixação ou de reunião pedagógica são diferentes; UMEIs permanecem vinculadas a escola núcleo; não poderemos ser diretoras das escolas que tenham turmas de educação infantil; ...

E preciso pensar que o Ministério Publico, na conclusão do inquérito aberto, determina a adequação TOTAL do plano de carreira, inclusive salarial. Com este projeto, a PBH pretende acalmar o animo das educadoras com uma pequena vitória (pequena mesmo) e ludibriar a decisão do MP.

Durante as ferias já iniciamos varias frentes para a discussão deste projeto. Já marcamos uma reunião com uma advogada, já conversamos com vereadores e estamos agendado uma conversa com o promotor. No dia 31 de janeiro marcamos uma reunião com as educadoras / professoras, as 16h na UMEI Carlos Prates para decidimos qual caminho tomar de forma consciente. É importante estarmos esclarecidas pois dia 01 de fevereiro é dia escolar em toda a rede e precisamos repassar e avaliar coletivamente a proposta.

Vamos ficar atentas/os à chegada do PL na Câmara.

Esperamos vocês dia 31 as 16h na UMEI Carlos Prates.



Thaís, Cris, Antonieta, Cláudia, Sirleida, Dani Rocha, Dani Gorete

9 comentários:

  1. Maria Antonieta Viana, educadora da Umei Carlos Prates, localizada na região Noroeste da capital, disse que a aprovação do projeto trará benefícios. “Seremos ainda mais reconhecidos pelo nosso trabalho com as crianças, já que o profissional da educação infantil tem uma importância fundamental no ensino”, disse.
    ESTÁ NO DOM de 06/01/2012 e ai?

    ResponderExcluir
  2. Não entendo a dualidade de opiniões. A antonieta concorda ou não, no DOM saiu até a entrevista com ela e foto apoiando o anúncio de Lacerda e Macaé.
    As autoras da postagens estão em contradição.

    ResponderExcluir
  3. Olá anônimo,
    Acredito que esse projeto de mudança de nomenclatura é um avanço para a categoria. Era fundamental sermos reconhecidas como sendo do quadro do magistério, para que outros benefícios possam ser conquistados. A luta não acabou. Por isso teremos essa reunião dia 30 de janeiro para que possamos articular as próximas ações.
    P.S: Isso é MINHA opiniao. Não falo pela Antonieta.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  4. Bom dia!!
    Faço parte do grupo de educadoras cuja posse está sendo prorrogada, por se tratar do 2º BM. Gostaria de ter contato, se for possível,com educadoras que estão na mesma situação e também o contato com o sindicato( telefone, email.....). Agradeço a atenção.
    Obrigada!!

    ResponderExcluir
  5. SindREDE-BH - Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte
    Avenida Amazonas, 491 - Sala 1009 - Centro - Belo Horizonte / MG | Telefone (31) 3226-3142 - Fax (31) 3212-9044 / imprensadarede@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Adriana! A reunião e dia 31 de janeiro, as 16h na UMEI Carlos Prates. Bjos, Thais

    ResponderExcluir
  7. gostaria de sugerir que as reuniões continuassem sendo na umei alaide (ufmg)pois o acesso é mais fácil.
    Obrigada!

    wanessa

    ResponderExcluir
  8. Olá pessoal,
    Obrigado pela correção Thais, mas confirmando, a reunião é dia 31 de janeiro às 16 horas na UMEI Carlos Prates. Para a Wanessa aí acima, só tenho a dizer que há um "revezamento" de locais disponíveis e a Carlos Prates é bem Central.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  9. Olá pessoal,
    acho que devemos continuar focando na luta pela conquista total do que, por nós, foi requerido.
    Consideramos sim que tivemos uma VITÒRIA INICIAL, que torna-se histórica, pelos moldes da luta e pelo fato de provarmos que temos força, garra, apoio( Nepei, Simpro, Puc,UFMG, etc) e UNÎÃO.
    Sermos reconhecidas no quadro da educação, termos nossa dobra de 100% etc é muito bom, por isso acho que: " A educadção Infantil tem sim papel fundamental no ensino".
    Acho que mudar o foco para o que foi dito ou não dito por uma colega, (lembrando que ela foi uma das que iniciou o processo de luta e continua nele) seria francamente, dar ênfase a coisas e pessoas que pelo visto não estão tão focadas assim nos objetivos que buscamos alcançar.
    Para esclarecer: a reunião na Umei Carlos Prates, foi marcada com o objetivo de que possamos ter um espaço de discussão sobre a PL , avaliando e podendo levar para discussão geral nas escolas que acontece no dia 01 onde temos todo o corpo docente reunido.
    Uma reunião não tira a importância da outra, visto que, conseguimos criar um grupo de discussão muito legal e que através dele conseguimos delinear muitos passos de nossa jornada de luta, além do contato mais direto entre as professoras.
    Danielle

    ResponderExcluir